domingo, 14 de abril de 2013

Nova Pérola, fonte : Correio


Projeto para o calçadão da Barra é inspirado em modelos da Europa



Carros, motos, bicicletas e pedestres deverão dividir o espaço da rua no novo modelo



Uma rua em que pessoas, carros, motos e bicicletas convivem no mesmo espaço, sem meio-fio. É o que a prefeitura de Salvador planeja adotar no trecho entre o Farol e o Porto da Barra, como anunciou o prefeito ACM Neto em entrevista publicada ontem pelo CORREIO.


A ideia faz parte do projeto da prefeitura para requalificação da orla do bairro. É o conceito de espaço compartilhado ou “shared space” (espaço compartilhado, em inglês), que consiste em eliminação de meios-fios e boa parte da sinalização de trânsito, de forma que se dá prioridade ao pedestre. O projeto está em fase de finalização. Procurada pelo CORREIO, a Secretaria Municipal de Urbanismo e Transporte (Semut) informou que maiores detalhes só serão divulgados após a apresentação oficial do projeto.


“O mais importante da cidade é o ser humano. Sou plenamente favorável a este conceito, acho que humaniza a cidade. A concepção de um espaço que dá adeus ao asfalto é um sinônimo de velocidade baixa. O pedestre toma conta do espaço. O motorista tem a noção de que vai passar num lugar de pessoas”, explica a arquiteta e analista de transporte e tráfego Cristina Aragon, citando o exemplo do Largo Dois de Julho, onde já se aplica o conceito de espaço compartilhado. Apesar disso, a Semut informou que o modelo utilizado é inferior ao que se deseja implantar na Barra, que terá como referência os exemplos vistos fora do país.


Exhibition Road, em Londres, adotou o modelo de 'shared space' para Olimpíada de 2012


Segundo o secretário municipal de Urbanismo e Transporte, José Carlos Aleluia, os carros poderão trafegar a uma velocidade máxima de 15 km/h. “Os carros vão andar lentamente, como se fosse um parque. Vamos adotar um projeto em que a prioridade será o pedestre. Não é uma rua exclusiva de pedestre, mas ele terá prioridade. Vão poder circular o ciclista e os carros, mas a prioridade será o pedestre”, ressalta, citando que o modelo já foi adotado com sucesso em outras cidades em países como Holanda, Alemanha e Inglaterra.


É o caso da Exhibition Road, em Londres, que com seus 820 metros, é a via de maior extensão do Reino Unido onde foi implantado o conceito de espaço compartilhado. Localizada no centro da cidade, abriga diversos museus e instituições importantes. O projeto foi elaborado para remodelar a Exhibition Road para a Olimpíada de 2012.


Na rua da capital britânica, ônibus, carros, bicicletas e pedestres dividem espaço; Salvador tem que fazer igual


Mesmo assim, foram retirados meios-fios, barreiras de segurança e sinalização de trânsito. A mudança na pavimentação também auxilia na redução da velocidade dos carros e delimita o espaço compartilhado.


De acordo com o projeto da prefeitura, o trecho do Farol da Barra até o Barra Center será transformado em uma via exclusiva para pedestre, eliminando totalmente o trânsito de veículos. Para isso, as 130 linhas de ônibus que hoje passam pela Barra terão que ser retiradas do trajeto.


Para Cristina Aragon, é importante que a comunidade seja ouvida. “Quem pode dizer os benefícios são os moradores, comerciantes e frequentadores da Barra”, analisa. No que diz respeito à adaptação, a arquiteta acredita que com fiscalização constante e conscientização da comunidade será possível implantar o projeto com tranquilidade.


A presidente da Associação de Moradores e Amigos da Barra (AMA-Barra), Regina Macêdo ainda não tem detalhes do projeto. “Pessoalmente, acho que essa ideia de tirar mais os carros não me desagrada, mas precisamos ver o projeto para depois avaliar”, afirma.

Cidadão ganhará espaço para fiscalizar prefeitura
Além das mudanças na Barra, o prefeito ACM Neto anunciou que deve implantar na capital um projeto semelhante ao Cidadão Auditor, de Belo Horizonte, em que os cidadãos ajudam a fiscalizar os serviços na cidade. Segundo o ouvidor-geral do município, Humberto Viana, ainda está sendo realizado um estudo de adequação.

“Estamos na fase de discussão interdisciplinar com as secretarias, além da Cogel (Companhia de Governança Eletrônica). A ideia do projeto é transferir também para o cidadão a responsabilidade de fiscalizar esses serviços e auxiliar a prefeitura na identificação das demandas”, explica.

Segundo Viana, o Salvador Atende (156), responsável pelo recebimento das críticas, sugestões e elogios à gestão municipal recebe uma média de 150 mil solicitações por mês, tendo uma perda de 30% delas por não ter quem atendê-las. “Temos atualmente 10 pontos de atendimento, funcionando em dois turnos e pretendemos aumentar para 100 pontos de atendimento nos três turnos, ou seja, 24h, domingo a domingo”, afirma.

Ele diz ainda que será implantado um sistema de gestão que permita que a solicitação seja registrada e encaminhada ao órgão executor, de forma que o cidadão possa acompanhar o andamento e conclusão do serviço.

Meu comentário:


Nenhum comentário:

Postar um comentário